Faça frio ou faça calor, seja um barco mais simples ou mais tecnológico, não tem como não depender das instalações elétricas para um navegar mais confortável e eficiente.

Pensando nisso, a equipe da Perfil Náutico conversou com o Mario José Moritz, Engenheiro Elétrico da CS Náutica para saber no que precisamos ficar atentos quando o assunto é a elétrica do barco.

1 – Principais problemas elétricos que aparecem nas embarcações

CS – As baterias são os primeiros equipamentos a serem vistoriados e deve-se analisar se estão sem carga ou com oxidação nos terminais. Além disso, verificar automáticos de bombas de porão queimados, escovas de motores de partida oxidadas, fusíveis oxidados ou queimados, e conexão elétricas oxidadas.

Bateria oxidada

2 – Ocorrências típicas de inverno e de verão

CS – Como é sabido, os sistemas elétricos e eletrônicos são muito sensíveis à umidade e salinidade e acabam oxidando os materiais, formando curtos circuitos ou interrompendo a passagem de corrente.

NO INVERNO – Durante o inverno temos que redobrar os cuidados com a umidade. O indicado é manter os equipamentos ligados sempre que possível para que o próprio aquecimento deles favoreça a remoção da umidade.

NO VERÃO – Já no verão temos o excesso de temperatura das casas de máquinas como problema. As baterias, por exemplo, nunca deveriam trabalhar acima dos 28ºC, para evitar a formação prematura de óxidos nas placas. É a chamada “memória da bateria”.

Evitar umidade e água nos equipamentos elétricos.

3 – Na compra de barco usado

CS – Eu diria que depois das condições de navegação e do casco, o item mais importante a ser bem avaliado numa compra de barco é o sistema elétrico. O histórico no Brasil da construção e reforma de barcos foi moldado em grande parte por fabricações artesanais caseiras e experimentais, formando uma flotilha de barcos com sistemas elétricos feito por conhecimentos da construção civil e industrial.

Os sistemas elétricos náuticos têm particularidades que devem ser observadas com muito rigor para poder garantir bom desempenho, segurança e durabilidade.
Felizmente de alguns anos para cá, houve o surgimento de bons estaleiros que produzem em série suas embarcações e o item “sistema elétrico” é levado muito a sério por essas empresas.

Instalações irregulares

Hoje por exemplo, já não há discordância de que os cabos elétricos, conectores e barramentos usados no sistema devam ser estanhados. Também não se usa mais a bordo equipamentos de uso doméstico, industrial ou do meio automotivo sem a devida “marinização”.

Uma ordem de verificação antes da compra seria:

• Se o sistema elétrico tem seu projeto disponível
• Se foi construído com materiais próprios para uso náutico
• Depois partir para o teste de funcionamento do sistema, dos equipamentos elétricos e dos eletrônicos. O ideal é submeter todo o sistema a um funcionamento simultâneo que isto irá apresentar algum erro ou defeito de dimensionamento do sistema. Esta operação em carga máxima também mostrará se os equipamentos de proteção dos circuitos estão funcionando bem.
• Os equipamentos que possuem horímetros podem ser avaliados por aí. Checar também se as manutenções foram executadas conforme orientações dos fabricantes.
• Fazer uma inspeção visual dos chicotes elétricos, dutos e calhas de condução. Observando se estão fixados corretamente, se possuem boa ventilação, se atende as normas de identificação e isolamento.
• É muito importante saber se os materiais plásticos empregados no sistema elétrico atendem a norma de segurança quanto a serem antichama.

Atenção para qualidade dos materiais empregados

4 – Checklist elétrico antes de usar o barco

• Bateria com carga completa
• Chaves gerais nas posições corretas de uso (quando for o caso)
• Verificar se alternadores estão carregando
• Testar funcionamento do gerador
• Checar fusíveis
• Checar automáticos de bombas de porão
• Checar luzes de navegação
• Ligar o sistema de navegação e checar funcionamento

Verifique sempre a condição das peças

5– Para invernar os sistemas elétricos do barco

• Manter o barco seco e ventilado
• Ligar o carregador de baterias por no mínimo de 10h, uma vez por semana, e nesse momento ligar o máximo de equipamentos que possam ser operados fora da água para que se aqueçam e possam expulsar possível umidade interna.
• Passar produtos próprios para material elétrico nos terminais, barramentos e conectores que repelem água e evitem a oxidação destas peças.
• É momento também para manutenção preventiva de transformadores, inversores, carregadores de baterias e geradores.
• Pode-se fazer também aperto de conectores, bornes de bateria, junções de negativos e barramentos em geral.

Há produtos no mercado que ajudam a manter a qualidade dos equipamentos elétricos.

6 – Utilização correta

CS – Os barcos atualmente possuem uma quantidade significativa de equipamentos elétricos e eletrônicos instalados para oferecer mais conforto para quem navega. Isso, por outro lado, implica em que o usuário tenha maior conhecimento na hora de operar estes equipamentos. É muito importante o acompanhamento, de quem vai operar o barco, da entrega técnica que os estaleiros costumam fazer. Entender melhor o funcionamento do sistema elétrico do seu barco é garantia de navegadas mais tranquilas.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here