ArtePNEsporte

 


Clipper Race continua a busca pelos melhores velejadores do mundo

Clipper Round The World Race“Você precisa entender que é um trabalho incrivelmente difícil. Os candidatos têm que ser totalmente dedicados.”, afirmou este final de semana o diretor da Clipper Race Justin Taylor para justificar a dificuldade do processo seletivo para comandantes da Clipper Race.

Ele, que já foi comandante em outras edições da competição, disse que o processo seletivo é intencionalmente esgotante: “Temos o dever de garantir que encontramos melhores capitães, aptos a liderar as equipes de forma eficaz, através de todos os desafios”.

A próxima edição da regata de volta ao mundo Clipper Race começa em agosto do ano que vem e a organização tem realizado contínuos processos seletivos para encontrar doze comandantes entre os melhores velejadores do planeta. 

Uma série de testes e cenários avaliam os potenciais capitães durante os três dias de processo seletivo, incluindo o resgate de um homem ao mar, lidar com vítimas, equipamentos danificados e conflitos com a tripulação.

“Colocamos candidatos sob grande pressão e acrescentamos mais dificuldades para ver como eles se saem”, afirmou o vice-diretor da competição Mark Light. “Muitas pessoas são capazes de velejar, mas poucas são capazes de velejar em um barco da Clipper Round the World Race.”

Os selecionados devem enfrentar os ambientes mais hostis do planeta, incluindo tempestades, ciclones, icebergs, lesões, calor e frio extremos e até mesmo ameaças de pirataria, durante quase um ano e em um percurso de 40.000 milhas com paradas na Europa, América do Sul, África, Austrália, Sudeste Asiático, China e América do Norte, em uma série de 16 corridas, atravessando quatro oceanos.

O fundador e presidente da Clipper Race, Sir Robin Knox Johnston adverte que os candidatos devem estar realmente preparados para ficarem exaustos, fisicamente machucados e surrados, mentalmente cansados e privados de sono durante a viagem 11 meses.

Como contrapartida os selecionados terão um contrato de 18 meses e um bom salário livre de impostos, além de desfrutar de excepcional progressão na carreira. Devem velejar por lugares como a Estátua da Liberdade, a Ponte da Bahia de Sydney, a Table Mountain na Cidade do Cabo e a Ponte Golden Gate, em São Francisco.

Para se candidatar você precisa ter o RYA (Yachtmaster Ocean Certificate), experiência pelo menos 30.000 milhas de navegação offshore e em barcos grandes e diversas habilidades que vão muito além dos requisitos profissionais de um trabalho normal.

O programa de recrutamento pode ser acessado no link:

www.clipperroundtheworld.com/careers

Para entrevistas e informações adicionais por favor contate:

Em Português: Flavia Goffi
Clipper Brasil
fgoffi@clipper-ventures.com
55 11 9 8684 0147/ 55 11 7741 8074

Em inglês: Julia Wall-Clarke
Senior Press Officer, Clipper Ventures
jwallclarke@clipper-ventures.com
(+44 (0) 779 154 164) / +55 21 9332 3607

Sobre Clipper Ventures Plc

A Clipper Race foi criada pelo lendário Sir Robin Knox-Johnston, o primeiro homem a completar uma volta ao mundo sem escalas e em solitário em 1968-69. A premissa da regata é a de que a vela é acessível para todas as pessoas, independente da idade ou do nível de experiência.

A empresa é proprietária e opera sua própria frota de Barcos de 70 pés de volta ao mundo. Até hoje mais de 3.000 pessoas já competiram nas oito edições da Clipper. A empresa também detém os direitos sobre a Regata em solitário VELUX 5 e disponibiliza uma área de eventos de sucesso que oferece regatas e programas de desenvolvimento corporativos.

Sobre a Regata Clipper de Volta ao Mundo/Clipper Round The World Race

A Regata Clipper de Volta ao Mundo teve início no domingo 01 setembro de 2013 em Londres e retornou em 12 de julho de 2014, depois de completar o percurso de 40.000 quilômetros, tornando-se a mais longa regata oceânica do mundo.

O evento foi criado por Sir Robin Knox-Johnston com o objetivo de dar a todas as pessoas, independentemente do nível de experiência na vela, a oportunidade de descobrir a emoção de uma regata de oceano.

Cerca de 650 pessoas, representando mais de 40 países, competiram na edição 13-14  da Clipper, nos doze barcos de 70 pés recentemente projetados  pelo renomado arquiteto naval Tony Castro.

É a maior regata que já existiu. Os membros da tripulação podem escolher entre a inscrição para toda a volta ao mundo ou para apenas uma ou mais etapas entre suas 8.

A única qualificação exigida para tripular a Regata é a idade mínima de 18 anos (não há limite máximo de idade), além de um perfil aventureiro. A Regata Clipper de Volta ao Mundo é dividida em etapas individuais e pontos são acumulados em um sistema de pontuação de estilo Fórmula 1. A embarcação com o maior total de pontos no final vence o Troféu da Clipper.

Sir Robin Knox-Johnston

Regata Transatlântica Rota do Rum - Sir Robin Knox Johnston
Regata Transatlântica Rota do Rum – Sir Robin Knox Johnston

Faz 45 anos desde que o Sir Robin Knox-Johnston bateu seu recorde de volta ao mundo sem escalas e em solitário em 1968-69.  Hoje,como Presidente Executivoe fundador da Clipper Ventures Plc, ele está na vanguarda no que diz respeito a regatas de volta o mundo e possui diversos prêmios e certificados de reconhecimento à importância de seus feitos. Entre eles estão o recorde de circunavegação mais rápida, junto com o Sir Peter Blake e o fato de ter sido nomeado três vezes como o velejador do ano pela  RYA – Royal Yacht Association/YJA  – Yacht Journalism Association. Trabalhou na Comissão de Regata da Whitbread 1990-1994 e organizou o BOC – Desafio de Volta ao Mundo, em 1982 e 1986. Participou da corrida Sydney-Hobart  2010 com 71 anos.

Clipper Round the World Race

clipperroundtheworld.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here