Prefeitura Municipal de Florianópolis define o Projeto do Parque Urbano e Marina Beira Mar Norte em Florianópolis.

O projeto do Parque Urbano e Marina na Beira Mar Norte, será o ponto inicial para uma transformação urbana considerando a relação da cidade com sua orla, a conexão com a porção continental e centro histórico na Baía Sul. O convívio entre usos mistos: público e privado com praças, marina, comércios, serviços, feiras, restaurantes, escola de vela, área de lazer e estacionamento possibilitam a apropriação democrática dos espaços pela população da cidade e visitantes – um projeto pensado para as pessoas.
A proposta, que possui condições de impactar positivamente todo o desenho futuro da cidade, partiu do anseio de garantir e qualificar o potencial paisagístico do local em que se insere, onde se procurou harmonizar todos os fatores, condicionantes e complexidade do ambiente construído e natural.

A estrutura deverá contar com 600 vagas molhadas para embarcações pequenas, médias e grandes, sendo 60 vagas de uso público. Já o Parque Urbano deverá ter 200 mil metros quadrados e contará com espaço para a realização de eventos, estacionamento de veículos, quiosques e área de lazer e práticas esportivas relacionadas ao mar.

Com a análise definida o passo agora é aguardar a aprovação da Lei de Concessão, que já foi encaminhado à Câmara Municipal de Vereadores, para que possa ser elaborado e lançado o edital de licitação da concessão para a implantação do Parque Urbano com Marina. O projeto prevê a concessão do espaço pelo período de 30 anos para a empresa que for implantar o projeto, tempo considerado necessário para o retorno dos investimentos que serão realizados pela iniciativa privada.

Entre as entidades que participaram da análise dos projetos, por meio de opiniões e auxiliando a comissão, estavam a OAB, ICMBio, Acatmar, AsBEA, Fundação Certi e o CREA/SC.

A equipe que prestou consultoria e suporte para a análise dos projetos, foi composta por: Amyr Klink, com experiência no setor náutico; Jaime Lerner, do meio urbanístico; Nelson Ronnie dos Santos, superintendente do BRDE, que deu sua opinião na parte de economia, e José Eduardo Azevedo Fiates, diretor executivo do Sapiens Parque, que opinou em relação à inovação e tecnologia.

O trabalho foi coordenado pela ARK7 ARQUITETOS e realizado por uma equipe multidisciplinar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here